Um caderno de leituras

"esguias Graças, Musas de mais magas tranças,
vinde, vinde agora"

Safo

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

CELINA DE HOLANDA


OS AMIGOS

Os amigos chegam, ponho a mesa.
Branca, estendida a esperança.
Às sombras
rogo o ensejo do contraste
equilíbrio de opostos
necessário
ao claro, para a imagem.
Ó, a tristeza
de sermos o que somos e não
como queriam que fôssemos os que
amamos.

Os amigos chegam,
venham de onde vierem, ponho a mesa.

4 comentários:

Meg disse...

Marcílio,
Oi, estou aqui a visitar-te e a ler-te... agora que estou de férias.
Mas tenho um pedido para te fazer... ofereces-me este poema para eu publicar?

Um beijo

Marcilio Medeiros disse...

Meg,
está oferecido carinhosamente a você.
Celina é uma escritora especial e teve uma importãncia singular para mim.
bjs

Nydia Bonetti disse...

Oi, Márcílio. Não conhecia a poesia de Celina. Que coisa mais bonita. Necessário, pôr a mesa para os amigos...

Saudade, ando perdida de você.

Beijo. Bom feriado.

Marcilio Medeiros disse...

Nydia,
a poesia de Celina é um encanto e como pessoa era maravilhosa.
não esqueci de você, viu?
bj