Um caderno de leituras

"esguias Graças, Musas de mais magas tranças,
vinde, vinde agora"

Safo

sábado, 21 de fevereiro de 2009

ELIZABETH BARRETT BROWNING

reprodução
Elizabeth Barrett Browning

SONETO XIV

Ama-me por amor do amor somente
Não digas: «Amo-a pelo seu olhar,
O seu sorriso, o modo de falar
Honesto e brando. Amo-a porque se sente

Minh'alma em comunhão constantemente
Com a sua.» Porque pode mudar
Isso tudo, em si mesmo, ao perpassar
Do tempo, ou para ti unicamente.

Nem me ames pelo pranto que a bondade
De tuas mãos enxuga, pois se em mim
Secar, por teu conforto, esta vontade

De chorar, teu amor pode ter fim!
Ama-me por amor do amor, e assim
Me hás de querer por toda a eternidade.

Tradução de Manuel Bandeira

2 comentários:

Lou disse...

Belíssimo! Parabéns pela seleção, Marcílio.

Um grande abraço,
Lou

Marcilio Medeiros disse...

Lou,
obrigado.
é sempre bom receber sua visita e comentário.
beijo